FeeD

quinta-feira, 17 de abril de 2008

Só chegando (irreal ou surreal?)

Ela chegou arfando, como quem vem de uma longa perseguição. Abre a porta do quarto e simplesmente se joga de cara no chão, sem pena do nariz quebrado.
Dorme.
No dia sequinte, as coisas pareciam um tanto surreais. Levantou-se e hesitou um pouco antes de sucumbir à PUTA VONTADE DE ESCREVER.
Trêmula e cambaleante, ergueu-se nas finas pernas e rastejou até o piano. Sentou. E lá passou a tarde inteira, nas teclas de marfim, digitando.
--
Ele toma seu último gole de tequila, arrota sonoramente e olha ao seu redor. Todos parecem minuciosamente alheios, cada um no seu próprio mundo como se fossem um bando de autistas. De fato, eram autistas. Tinham isso por opção.
Ele escrevia na mesa com um canivete sem fio palavras que não faziam o menor sentido. Pediu a conta, pagou, saiu. Olhou pra cima e desfrutou das cores do céu no anoitecer. Ele a viu se jogar do oitavo andar. Tudo apagou.

7 comentários:

Lady disse...

a poça de sangue formou-se no chão, de uma linda cor escarlate, como as rosas que dançaram outrora em sua mente.ela estava morta...mas quem choraria por sua libertação?



*amou demais o texto, vc escreve muito bem, linda^^*

Dado Pires disse...

Salve, dei uma passadinha para conferir a autora do comentário no Fale com Deus.

Boa sorte com seu blog! Precisando grite que nós gritamos juntos!

Kato disse...

Eu sou Metal o.o

Heart of the Sunrise disse...

Autistas por opção!
HAUHEUHAUHEUHAUE

Hell yeah, isso é que eu chamo de um "encontro cabeça".

Hugo disse...

Essas narrativas marotas dotadas de mil figuras de linguagem são muito divertidas de se ler.
Gostei, a parte do autismo por opção ficou muito boa. :P

Cursed Angel disse...

uuhhuullll


cara q demais ^^

adorei mamiss ^^

no dia q vc resolver escrever um loivro

com uma bela historia

eu serei um dos primeiros da fila a comprar ^^

bjao mamiss xD

maycon disse...

show!!