FeeD

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Get The Show On!

Deitada e lamentando os últimos minutos que teria consciente naquela noite, pensava em Renato. Aquele homem soube, realmente, como invadir cada centímetro do seu íntimo, explorar sua devassidão e sorver até a última gota da sua energia. E, não fosse por tê-lo intimado a dizer, ela não saberia nem mesmo seu nome... se é que era esse. Não importa.
Dominada pelos seus desejos pérfidos, Flávia deixou que tomassem rumo aqueles pensamentos profanos, esperando que se calassem na escuridão e no silêncio que a rodeavam. Não calariam.
Demorados cinco minutos ou menos, o átrio daquela ânsia ultrapassava o limite dos seus sentidos. Dedos e pernas e mãos e suspiros atormentavam-lhe o juízo de uma forma tão íntima e tão lírica que não deixavam dormir os pensamentos tão desafortunadamente impuros... Sentia vergonha de si mesma. Mas gostava disso. Não pararia.
Dentro de si e nela mesma, um misto de glória e desespero, vergonha e uma certa paixão pelo que considerava, então, errado faziam-na rangir os dentes e os pés da cama. Renato, agora, não deixava de habitar sequer um detalhe dos seus pensamentos. E do físico... Da alma, dos livros, estantes e todas as músicas que Flávia poderia conhecer. Era angustiante e desejável que continuasse nesse rumo. E não se perderia.
Dançando em sua mente, tudo era tão real que ela podia ouvir os gemidos, sentir a respiração dele... e a fricção de seus dedos levemente ásperos. O calor que crescia em seu corpo tomava-lhe, então, como se cada pedaço do seu ser fosse uma nota de um bom vinho... ou um Stradivarius à espera de seu melhor concerto. Não sente mais.
Degustando o prazer do momento alto daquela orquestra, aquietou-se, então, embebida em torpor. E o corpo dormente e o sorriso ardente reservaram-se à platéia de livros e álbuns musicais mais próximos do seu quarto.

15 comentários:

tomatte disse...

Que lindo *-*

Leandro Terrorista disse...

Shown Raquel-chan, muito legal ^^

Anônimo disse...

Adorei a sutileza do seu texto ao narrar algo tão intenso. É uma cena linda e o erotismo que você expressou por meio de figuras resultou em uma imagem belíssima.

╬ Nothing has sense ╬ Felipesfr disse...

perfeito!!!!

o desejo platonico...
o anseio... aquilo que nos faz-nos abandonar-nos e perder o norte de nós mesmo...

muito perfeito!

http://gothicpoesia.blogspot.com/

Rafael disse...

Óóóóóiaaaaa :D

Kel safadona :P

Anônimo disse...

meu na boa, está lindo. Parabens pela super criatividade *-*
beijos!
@k_oliver_

Kinho Wildchild disse...

Muito bom *-*

:B

Kinho Wildchild disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mitsuo disse...

O desejo não reprimido, porém não totalmente satisfeito... ^^.

Sehr gut!

Mitsuo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Dr. Brick disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Dr. Brick disse...

Desculpem a quantidade de erros acima. Escrevi que nem um cavalo. Devidamente corrigido aqui:

Lá vou eu de bode. Sinceridade?! Tem um homem babando aí pq teu site é sobre sex*. Tá mentira. Parei. Gostei do texto, melhor do que os outros textos que costuumo ler seus. Pelo menos estou mais identificado com esse. Estou com um sentimento parecido em relação a alguém. Graças à deus passei da puberdade pra continuar lamentando esperanças sobre isso.

Sobre o texto. Oh well, você escreve bem, mas você sabe que eu ODEIO preciosismos. Coisa que você ama de paixão e exige em seu próprio texto. Seja um pouco menos "barroca" minha filha.

Enfim. Bom texto, mas ainda repito tente outros tipos de texto além desses sobre amor extremamente rebuscados. Queria ver um daqueles seus textos de terror que você escreve melhor do que ninguém.

Crow disse...

Manual Sex Way of Life

Afrodite disse...

A delicadeza das palavras refletem uma intensa imagem ao leitor, que se delicia, ouvindo uma voz suave na mente enquanto lê. O erotismo leve, que faz viajar por alguns instantes no quarto onde Flávia estaria, e observando minuciosamente o atrito entre os dois corpos.

Kinho Wildchild disse...

Viajei!