FeeD

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Carta de despedida

Um litro e meio de café forte, amargo, esquecidos no bule por puro descaso causado pelos fatos. A garrafa térmica ficou sobre a mesa, ansiosa, desamparada, classificou-se inútil quando tudo o que podia fazer era observar o líquido que tanto esperava ser despejado esfriar estático, vítima das intempéries comuns ao mundo, que o fazem ser fascinante da forma que é.

Novamente por descaso, o café, que já não bastasse estar sendo requentado, foi esquecido no bule até gerar pressão suficiente para fugir de seu recipiente, gerar caos, sujeira, confusão, gritaria.

Foi então, outra vez esquecido, cansado e frustrado. Dessa vez, diretamente de encontro à garrafa, para que não perdesse o pouco calor que ainda restava.

Mas agora, além de requentado e queimado, o café estava frio. E ao menos ele saborearia a réplica simbolizada pela repulsa de quem o tomasse, já que para se sentir melhor, faria aqueles ao seu redor pagarem.

Mas um, ainda assim tomava – porque apesar disso, era grato pelo café mantê-lo acordado – e se sentiria mal por sorver estes últimos goles e não achar que deva ter esperança por próximos.

Um comentário:

Mrs. Doll disse...

o_O café já tem um cheiro péssimo.... REQUENTADO, ENTÃAAO!!! T_T aaafffe




mas o texto tá demás! *-*